A Liberdade acaba com a Escravidão

Apenas para recordar um fato real acontecido aqui no Brasil na época do descobrimento e que nos envergonha até os dias atuais, aconteceu justamente com o povo africano, que forçosamente vinham para estas terras na condição de escravos.
O que significa ser escravo?
Escravo é aquele que está subordinado a um senhor, como propriedade dele.
Quem vive nas drogas, é escravo dela.
Quem vive no álcool, é escravo dele.
Quem vive no adultério, é escravo dele.
Para todas as situações de escravidão, seja qual for, é necessário buscar libertação.
Se não fosse assim os nossos irmãos africanos estariam sofrendo até hoje.
Lendo as Sagradas Escrituras, exatamente no livro do Êxodo, entendi como os hebreus eram escravos de um governo que só oprimia e maltratava a todos, independente se eram homens, mulheres ou crianças.
Para libertá-los, Deus mandou Moisés, que os guiou pelo deserto, depois fez que todos eles atravessassem pelo mar vermelho e alcançassem a liberdade.
É até bonito e confortador ver como Deus Pai age em favor de seus filhos.
Sabem por quê? Simplesmente porque ama a todos indistintamente.
Fazendo uma análise mais atualizada, verificamos que a humanidade toda ainda continua na mesma situação de escravidão, só que desta vez somos escravos do pecado.
Esse tipo de escravo também está muito subordinado ao seu senhor, o demônio, satisfazendo as suas vontades, a quem serve sempre, tornando-se propriedade dele, ele peca feito louco e se afasta cada vez mais de Deus e de todas as suas graças e bênçãos.
Mais uma vez atento aos sofrimentos dos seus filhos, o Senhor Deus quis resgatar cada um em particular e disse ao Seu Filho primogênito: “Vai lá e salva todos para mim.”

Na humildade, atendendo a vontade do Pai, Jesus Cristo tornou-se libertação para o escravo do pecado. É por isso que Ele mesmo afirma: “Não vim chamar à conversão os justos, mas sim os pecadores.” Lc 5, 32.

Se os hebreus encontraram a liberdade ao atravessar o mar que era vermelho, também nós encontraremos a nossa libertação se formos ao encontro do Cristo Ressuscitado, cuja cruz também está manchada de vermelho, só que desta vez pelo seu preciosíssimo sangue.

Que todos nós saibamos reconhecer nossa indigna condição de pecadores e com coragem buscar o Sacramento da Reconciliação, para que esta quaresma não seja apenas mais uma data festiva, mas que por ela possamos buscar com toda a força do nosso coração, a cura e a redenção das nossas faltas e pecados e busquemos contritos uma verdadeira mudança de vida, libertando-nos de tudo que possa nos conduzir ao pecado e consequentemente à nossa condenação.

Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

José Carlos de Camargo
Presidente C C Jacareí

Veja também...

Deixe uma resposta